Quantas vezes nos tornamos engessados,

Sem expressar a criatividade

Por receio dos rótulos que as pessoas nos dão?
Sensação de vazio e solidão frequentes.
O que precisamos é descobrir o que faz o coração pulsar,

A alma vibrar e o corpo dançar.
O que precisamos é virar a chave, conectar com nossa essência

E responder da forma mais sincera e coerente:

Afinal, o que eu desejo?

O que eu quero?

O que eu necessito?

Quem de fato sou?

Uma vez encontrada a resposta é preciso uma dose de coragem

Para rasgar o véu

Fragmentar os rótulos
As mágoas
As dores
E permitir-se caminhar
Permitir-SER errar
Permitir-SER amar
Permitir-SER fluir
Há uma versão sua , destituída de valor

Necessitando ser olhada, aceita e amada
Precisando ser respeitada e amparada

Por você
Quando aprender a fazer o movimento de cura

Te garanto

Você ganha asas

Cuide-se

Não me rotule, não se rotule
 

678b20b7e76e3c81baa4f8c6ee1bc656.png